- Che Guavira - sítio literário

sábado, 10 de janeiro de 2015

Esta é a gata Christie
Apareceu no quintal quando voltei de Bogotá. Tinha uns arrepios de susto quando se ia em sua direção. Mas já acabou isso. Já está até muito safadinha.
Gosta de brincar na estante, atrás dos livros, caçar cigarra.
Sozinha aprendeu que tenho medo das unhas. Agora brinca de patada sem unhada. E como sabe que não é pra pisar no teclado?



● Pesquisando na rede soube que em viagem ao exterior se pode trazer 12 garrafas de bebida alcoólica. Sabes quantos pacotes de café se pode trazer? 3, 4... no máximo. Quero saber quem foi o cachaceiro que elaborou essas regras.
● Diz que está terminando o famigerado aquário do Pantanal. Sei não... em Campo Grande não existe manutenção. Talvez por ser obra do governo estadual haja manutenção, porque se fosse municipal, deus-nos-acuda!
Não sei o que o município faz com nosso caríssimo IPTU, porque manutenção não está no dicionário da prefeitura. Me lembro de que, quando criança, a praça Ary Coelho tinha peixinho. Logo se acabaram os peixinhos. Imagines um aquário gigante!
Os semáforos de pedestre só funcionam os novos. Pifou fica pifado, mesmo no centro da cidade. O parque das Nações Indígenas (Eta nome nada-a-ver. Não tem índio) é um deserto. Não existe placa indicativa, vendedor ambulante, guia, posto de informação turística. Nada. Só pistas asfaltadas com torneiras pra caminhante e corredor tomar água, e lixeiras (sem uso, pois não há barraca nem vendedor ambulante).
Não existe vistoria nas árvores urbanas, por isso quando têm de cair caem. Quando fazem gramado nas praças e calçadas a grama morre ou vira mato.
Aqui recapemento é luxo, mesmo nas avenidas principais. Quando se faz é manchete nacional. Por isso muitas vezes o motorista prefere um trajeto mais longo, pra evitar vias muito remendadas, onde o carro trepida tanto que parece que soltará todos os parafusos.
Deve ser o município mais rico, porque só arrecada. Não gasta com manutenção. Tanto é que na época da chuva é um festival de buraco.
É bem capaz que o famigerado aquário funcione enquanto estiverem vivos os peixes.
Insensatez
O projeto Biosfera II fracassou por se basear em princípio falso: A Terra como uma bola de bilhar com ecossistema na superfície, num sistema fechado, onde tudo se recicla indefinidamente. Isso é falso, impossível. Se tal fosse, o moto-contínuo não seria impossível.
A reciclagem só é viável de forma parcial e limitada. A Terra recebe média de 10t ou 100t de poeira cósmica por dia. Existem moléculas de água que nunca estiveram na superfície.
Um sistema fechado ficaria viciado, contaminado. Se descobriu que a baixa natalidade européia se deve à presença de hormônios das pílulas anti-concepcionais na água reciclada, pois esses hormônios passam em qualquer filtragem.
Moléculas recicladas estarão com nível subatômico alterado, íons deletérios. São como moléculas artificiais.
Dia destes um amigo, ao pegar um pacote de latas de cerveja no supermercado e ver que ultimamente é comum estarem furadas, que a reciclagem tem limite. Se reciclando indefinidamente o material sofre fadiga.
Por essas e outras esse projeto propagandeado por essa celebridade é estupidez e loucura.

Nenhum comentário:

@templatesyard