- Che Guavira - sítio literário

domingo, 4 de dezembro de 2016

Em 2010 postei No episódio de Frajola e Piu-piu Visita ao hospital (Greedy for teety) há um erro de continuidade: No início o cão está com o pé esquerdo engessado. Depois aparece o direito.
O mesmo erro de continuidade aconteceu nesta tira de Condorito: Primeiro o pé amputado é o esquerdo. Logo em seguida é o direito.

 
Aqui Condorito vendo Mancha Negra

Veio à cabeça a identidade do nome da aerolinha, Lamia, com lâmia, o demônio da mitologia grega:
Em 2013 um avião da LAM (Linhas aéreas de Moçambique) caiu na Namíbia. Um relatório provisório das autoridades namibianas que investigam as causas da queda do vôo TM-470 das Linhas Aéreas de Moçambique, em novembro de 2013, na Namíbia, reafirmou a teoria de suicídio do piloto.
Também em 2013 o caso do suposto suicídio da canadense Elisa Lam, 21 anos, encontrada morta numa caixa dágua dum hotel de Losângeles.
Sempre se procura, ao dar nome a criança ou empresa, não só um nome bonito e recordável mas também de bom-agouro no inconsciente coletivo.
Então por quê se usa o nome Mara?
Na Dinamarca a mara era uma malvada mulher vampiro que rondava durante o dia com aspecto de ser humano. Se enamorar dela era fatal, já que se tinha sensação de sufoco e estrangulamento, como se mãos de primitiva força rodeassem a garganta. O único meio de ver a forma humana da espectral mara era se deitando de costas, empunhando una faca com a mão descansando no peito e a ponta a arriba. Quando o espectro adotava forma humana, a ponta da faca se cravava no corpo da mara, quem, espantada, fugia.
No budismo, mara é o oposto a Buda: Buda representa a iluminação. Mara é a ilusão, personificado como o demônio Mara.
Mara ● Nos compostos traz sempre a idéia dalgo ruim, mau, que não presta, mas sem dar lugar, na mor parte dos casos, à tradução. Isso acontece, disse o velho Quenomo, pajé cabéua, porque Mara foi gente ruim, e tudo que dela sair só pode ser ruim, mau imprestável. Na lenda, Mara é a filha dum pajé que, aprendida a ciência paterna, a usa pra fazer o mal. Por isso o pai a matou, pra evitar empestar o mundo com a descendência. Mas a tarefa não foi fácil. Sabendo a intenção do pai, conseguia sempre se escamotear. Depois de muito lidar conseguiu a matar afogada mas não pôde impedir que na ânsia da morte a baba dela originar algumas ervas más, que servem pra fazer maracaimbara, feitiço. Noutra versão Mara se casou e o marido a matou. ● Stradelli 514, Vocabulário da língua geral.
Câmara Cascudo - Dicionário do folclore brasileiro

Coleção de cartão-postal de Joanco









Nenhum comentário:

@templatesyard