- Che Guavira - sítio literário

domingo, 1 de março de 2015

Livros recomendados
Obrigado pelos comentários, pois costumam primar pela qualidade
 
Agora entendes por que endeusar Bolívar e apoiar o separatismo?
 
Agora entendes por que não querem que se tenha bomba atômica e sutilmente se difama os militares? Implantaram regimes militares pra criar ojeriza aos militares, pacifismo pra desarmar a todos. Não reagir, ser bonzinho.
Não pode caçar, não pode ter arma de brinquedo, não pode se defender...
 
Se Dilma fizer o que tanto cobram, a elite não a derrubará como fez com Collor?
 
O problema do Brasil não é PT, este ou aquele partido. São as multinacionais, que mandam e desmandam.
Mas chegará o dia do ajuste de conta.
Existem pequenos países que são paraísos fiscais e um gigante que é o inferno fiscal.
Quem não pára de postar barbaridade, todo dia metendo o pau no governo, até encher o saco, está realmente exercendo o direito de crítica ou está sendo manipulado pela CIA?, cujo propósito é desestabilizar uma nação que não é mais seu capacho.
 Agora entendes que meter o pau nos militares só interessa a eles?
Sabes o que significa o trecho do hino nacional Paz no futuro e glória no passado?
O império do Brasil era uma potência. Ocupou Montevidéu e Buenos Aires, expulsando o ditador Rosas, venceu o Paraguai, ajudou o Chile a vencer a coligação Peru-Bolívia, anexou o Acre. Três países sul-americanos devem sua independência ao Brasil: Paraguai, Uruguai e Chile. Paraguai e Uruguai seriam anexados pela Argentina, e Chile seria trucidado pela aliança Peru-Bolívia na guerra do Pacífico.
O Brasil sempre se comportou com ética no plano internacional. Nunca chamou os desunidos vizinhos de republiqueta das bananas, não foi anexando tudo a qualquer custo, com guerra de conquista, pra chegar ao Pacífico. O exército não exterminou índio nem bisão deliberadamente. Ao contrário. O lema de marechal Rondon era Morrer se preciso for. Matar, nunca!
Não que queiramos um Brasil belicoso, ou seja um saudosista da era de Caxias, ao estilo pracinha da FEB. Aquela era a mentalidade e a circunstância do século 19, e o Brasil era pujante pra sua época, não o Brasil republicano, minado pela Maçonaria. Lembrar que em 1800 no Brasil havia mais indústria que na América do Norte.
E o que dizer do Brasil republicano? Virou este gigante abobalhado que vemos. Até a era FHC o país foi capacho de Estados-Unidos. Somos um país que comparado a seu potencial é uma piada mas conta piada de português, onde tudo o que tem no supermercado é falsificado mas o falsificado da piada é paraguaio.
Não é xingando a presidente e difamando os militares que construiremos o Brasil pra valer. Enquanto dermos olhos e ouvidos a notícias falsas continuaremos patinando.
Não acreditemos no que se noticia, pois a imprensa está quase toda nas mãos de sionistas.
Então, não dar ouvido a crises-ficção.


3 comentários:

  1. Meu amigo, mais do que nunca, me sinto feliz por acompanhar este blog. É raro nesses dias de tanto radicalismo desinformado, em que pessoas tecem opiniões baseadas em meia dúzia de falácias que leram nas redes sociais, ver um comentário tão ponderado e com base em fatos históricos. Mas isso somente é possível para aqueles que realmente buscam se informar, que lêem livros não só de ficção, e não se esquecem do passado - pois não queremos estar condenados a repetí-lo.

    Sobre isso, cito uma interessante passagem que vi numa HQ dos Vingadores, onde o Gavião Arqueiro conversa com uma mulher que desconfia ser a Feiticeira Escarlate, mas ela afirma viver há anos naquela vilazinha na europa oriental. No meio do papo, ela comente que não lê jornais e revistas. "E como você se informa?", pergunta o Gavião. "Por meio dos LIVROS que é onde publicaram a VERDADE anos depois".

    Realmente algo para se refletir!

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida, Nano. A chave é mesmo refletir no sentido de pensar. Não como espelho. Valeu.

    ResponderExcluir
  3. Respeito sua opinião, apesar de discordar dela, só lamentei a frase sobre "sionistas". Esse nome virou um palavrão, como se fosse "nazista" ou "fascista", quando denota apenas aqueles que acreditam e lutam por Sião, ou seja, por um território próprio para os judeus, a terra que lhes pertence, Israel. Não entendo o que tem a ver esse termo usado assim...
    Gosto de seu site, mas esse trecho em sua postagem eu estranhei.

    ResponderExcluir

@templatesyard