domingo, 20 de março de 2022

Casos e coisas

 

Joaquim Pitomba - Casos e coisas, ~década 1920 800dpi.cbr

Joaquim Pitomba - Casos e coisas, ~década 1920 - 800 dpi original bruto.cbr

Eis uma raridade e tanto. Uma revistinha tipo almanaque Renascim, Sadol, Fontoura, etc, 10x14,5cm². A origem do pernicioso hábito de tomar pílula pra se acalmar e ou dormir.

Pesquisando palavra-chave Joaquim Pitomba, o único resultado é o nome duma escola, núcleo infantil Joaquim Pitomba, em Iporá, Goiás.

O ilustrador é de Berlim, década de 1920:

https://duckduckgo.com/?q=Paul+Simmel&atb=v1-1&ia=web

 

Lanterninhas aéreas

sem fotoxopar

Eis outra raridade também ausente na rede. Vos lembrai dos balões?, onipresentes nas canções juninas. Depois proibidos pelo risco de incêndio florestal. Mas no leste asiático não tem risco de incêndio? Eis um pacote sem uso, da marca como o refrão fogos Caramuru, fogos que não dão chabu, apenas com a embalagem um pouco deteriorada.

 

Dois amigos no hospital

No domingo, 13.03.2022, um vizinho que só tem cão veio perguntar se o gato deitado no chão, parecendo ser uma gata parturiente, é meu. Fui ver. Era Bicão! Bem no alto, dois frontões da garagem, distantes entre si, onde já viram gatos saltar dum a outro. Certamente Bicão errou o pulo. Valdinei presta serviço na clínica AlQmia. Liguei pra perguntar se então tinha plantão. Estranhei Rosângela atender, e expliquei. Então soube que Valdinei sofrera acidente-de-trabalho no sábado, e que não avisou porque ela não tem meu telefone! Na obra subiu sem escada e caiu.

Curiosa a similitude de ambos acidentes. Bicão teve coágulo urinário e descoordenação motora que pouco-a-pouco diminuiu até sumir. e teve alta no domingo 20. Valdinei ficou em coma, aguardando uma parte do cérebro reagir, e já a ponto de despertar.

 

Chega de saudade... Chega de reforma ortográfica!

A partir do século 20 o Brasil sofre duma síndrome de neoortografomania, ou que se forje com sufixo ou prefixo latino um vocábulo pra mania de reforma ortográfica. Quando se mexe demais nalgo, azeda. A mais recente, além de supérflua, foi prejudicial, descaracterizante.

Com a nova ordem mundial que virá, e que não será a maligna judaico-sionista-maçônica, devemos propor as reformas necessárias, urgentes, já pachucha a coisa: Reforma etimológica, redacional, etc. Não ao barbarismo (estrangeirismo), redundância, impropriedades, má conjugação, etc. Nosso lindo idioma, tão maltratado por idiotas travestidos de intelectuais, necessita. O castelhano, coitado!, meio terminal, necessita com muito mais urgência. Ouso ir além. O castelhano deve se converter ao português, pois já caiu em grave imprecisão. Então uma nação latino-americana abrangendo todos os países luso-hispanófanos, incluindo tudo o que era do México, criaria um país maior que a URSS!

Mas é preciso melhorar a educação, pois o povo tem de parar com o vício de falar sem pensar.

Vejamos um breve apanhado esboçando essa reforma:

Vocábulos equivocados

Aeródromo ● O sufixo dromo se refere a corrida. Cartódromo, lugar pra corrida de carte. Autódromo, lugar pra corrida de automóvel. Daí que a construção camelódromo seria lugar pra corrida de camelo, e não lugar pra camelô vender. Assim como autódromo não é estação rodoviária, aeródromo não é sinônimo de aeroporto.

Já vi corrida de camião, mas de trem ou avião nunca

Dromo elemento de formação pospositivo, de origem grega e caráter nominal, que exprime a idéia de corrida, pista onde se corre (autódromo, hipódromo)

https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/-dromo

Alternativa ● De alternar. 0-1, positivo-negativo, masculino-feminino, máximo-mínimo, sim-não... Alternativa é só uma. Não é sinônimo de opção.

Apocalipse ● Significa revelação. Não é profecia e sim relato de evento passado. Não é sinônimo de armagedão, hecatombe nem cataclismo.

Azeitona ● Tipo de produto em conserva em azeite. Não é o nome da fruta da oliveira, que é oliva. Se pode fazer azeitona de cajá, serigüela e umbu, por exemplo.

Bastante ● O suficiente, o quanto basta. Não é sinônimo de muito.

Se dar conta ● Às vezes é perceber ora reconsiderar, ligar o desconfiômetro, considerar mais fatores na questão. Nem sempre é sinônimo de perceber.

Celestial ● Referente ao Céu na acepção religiosa. Não é sinônimo de celeste.

Camicase ● Significa vento divino. Duas vezes uma tempestade destruiu a armada naval mongol que tentava invadir o Japão. Na 2ª guerra mundial, emulando esse fato histórico, pilotos japoneses lançaram seu avião como míssil improvisado contra porta-aviões ianques, sendo chamados camicase por analogia. Não é sinônimo de suicida.

Colorir ● Atribuir uma presumida cor original via algum critério. Não é sinônimo de colorizar.

Colorizar ● Recuperar a cor original via algum processo. Não é sinônimo de colorir.

Enxergar ● Olhar atentamente, tentando discernir ou detetar. Não é sinônimo de ver.

Escutar ● Ouvir atentamente, tentando discernir ou detetar. Não é sinônimo de ouvir.

Demais ● Excessivo, extra, excedente. Não é sinônimo de muito.

Diferenciado ● O que foi submetido a critério pra estabelecer diferença. Não é sinônimo de diferente.

Se encontrar ● Passível de ser encontrado ali mas não necessariamente está ali. Não é sinônimo de estar.

Espinha ● Espinha dorsal, coluna vertebral. Não é sinônimo de espinho.

Esporte ● Atividade sem profissionalismo nem necessidade de atingir objetivo, aficção, róbi, diletantismo. Não é sinônimo de desporto.

Fatal ● Dos fados, inevitável, estava escrito, do destino. Implica idéia determinística. Não é sinônimo de mortífero.

Um monte ● Amontoado, em forma de monte. Dá idéia de mas não é sinônimo de muito.

Mortal ● Passível de morrer. Só aplicável a ser vivo. Não é sinônimo de mortífero.

Multipolar, unipolar ● Só há dois pólos. Não têm sentido os vocábulos multipolar e unipolar. Sobre os países dominantes no mundo podemos dizer, por exemplo, multicapital ou unicapital. Pra não se confundir com referência às capitais nacionais, multicápita ou unicápita, multilíder ou unilíder. Nunca multipolar e unipolar.

Planeta ● usar o vocábulo planeta pra se referir a nosso mundo, só em contexto astronômico, comparando a outros astros. Num contexto terreno é vício dizer É a maior ponte do planeta. Melhor É a maior ponte do mundo. Ir à Lua não é ir a outro planeta mas a outro mundo. Não é sinônimo de mundo.

Populoso ● Como mais indivíduos por metro quadrado. Implica idéia de densidade. Não é sinônimo de maior população.

Redondo ● Termo só aplicável a corpo bidimensional. Não é sinônimo de esférico.

Reduzido ● Que sofreu diminuição. Não é sinônimo de pequeno, escasso.

Terrenal ● Referente à Terra na acepção religiosa. Não é sinônimo de terrestre nem de terreno.

Terreno ● Referente a terra firme em oposição a meio aquático e aéreo. Não é sinônimo de terrestre nem de terrenal.

Terrestre ● Referente ao planeta Terra. Não é sinônimo de terreno nem de terrenal.

Universal ● Do universo, incluindo todas as galáxias. Não é sinônimo de mundial.

Utilizar ● Tornar útil, reparar, consertar. Não é sinônimo de usar.

Visualizar ● Tornar visível. Por exemplo: Uma foto digital em código numérico é visualizada ao se decodificar o código o transformando em imagem. Não é sinônimo de ver.

Vivenciar ● Sofrer processo de vivência, ganhar experiência, viver contexto determinado. Não é sinônimo de viver.

 Eis um exemplo da inconveniência da frescura gramatical tipo colar ao pescoço, faca à cintura, etc, quando é óbvio ululante que é colar no pescoço, faca na cintura. É claro que um sistema antiaéreo é tiro ao avião e não tiro ao ombro.

El Estinguer também se presenta en una configuración de tiro al hombro, también conocido como sistema de defensa antiaérea portátil Mampas

O Estinguer também se apresenta em configuração de tiro ao ombro, também conhecido como sistema de defesa antiaérea portátil Mampas

  

https://www.youtube.com/watch?v=k44II1BvUAw

Superman, hijo rojo

Super-homem, filho vermelho

Esta foi surpreendente

 

https://www.youtube.com/watch?v=uHFIoxNIOaE

8:13 Dilma Roussef?

 

https://www.youtube.com/watch?v=oavHbIWrwnc

Lo que el imperio de la mentira no te cuenta sobre Ucrania

 

https://www.youtube.com/watch?v=L1dh-YyS4nw&lc=Ugxci1CIPcHc2DdTPr54AaABAg.9Rj1K5n2LvG9YmqWILunRV

O monstro da floresta Negra

Canadenses caçam por prazer. Disse que é costume geral, aceito. O que leva a questionar se tais países endeusados por falsimídia são mesmo civilizados.

 

https://www.youtube.com/watch?v=8YSrtCGJoAc

La OTAN: 65 años de crímenes humanitarios

 

Coleção Adeene neles!

 


O Brasil no ar
Brasil e Ucrânia: Semelhanças além do amarelo da bandeira e da seleção

Quem disse que o Brasil não marca presença no mundo?

 


Paraguailingrado


 SpaceX - SPA séxi

 Onde anda o preto-velho

 

Onde andam os zumbis de Michael Jackson

 

Ronaldinho Feromônio - Ronaldinho Guaxo - Ronaldinho Mauricinho

Ronaldo Nazário  -  Ronaldo Q Azara   -   Ronaldo Narciso

 

Coleção cartão-postal de Joanco

 






sábado, 5 de fevereiro de 2022

Envio Gibis 2, de Daniel Silva


 Enviados por Daniel Silva

Captain_Marvel__Jr._061___40_Fawcett_1948__41____40_c2c__41

Casper__x27_s_Ghostland_011___40_1961-10__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_012___40_1962-01__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_016___40_1963-01__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_017___40_1963-04__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_019___40_1963-10__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_020___40__1964-01__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_021___40_1964-04__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_022___40_1964-07__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_023___40_1964-10__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_024___40_1965-01__41____40_c2c__41____40

Casper__x27_s_Ghostland_056___40_1970-09__41____40_c2c__41

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_004___40_1991-09__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_005___40_1991-11__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_006___40_1992-01__41____40_c2c__41____40

 Casper_the_Friendly_Ghost_v2_008___40_1992-06__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_009___40_1992-09__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_011___40_1992-12__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_013___40_1993-07__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_014___40_1993-09__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_015___40_1993-10__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_021___40_1994-04__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_022___40_1994-05__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_023___40_1994-06__41____40_c2c__41____40

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_025___40_1994-08__41____40_c2c__41____40_

Casper_the_Friendly_Ghost_v2_026___40_1994-09__41____40_c2c__41____40

Dennis_the_Menace_056___40_Fawcett_1962__41____40_c2c__41____40

Fat_Albert_019___40_Gold_Key_1977__41____40_c2c__41____40

Felix_the_Cat__x27_s_Nephews__Inky_and_Dinky_007_40_1958-11_41_40_c2c_41_40

Four_Color_0019_-_Thumper_Meets_the_7_Dwarfs___40_Dell__41_40_1943_41_40

Four_Color_Comic_0381___40_Marge__x27_s_Tubby__41_40_Dell_1952__41_40_c2c__41_40

Hanna-Barbera_Scooby-Doo_Mystery_Comics_028_40_Gold_Key_1974__41_40_c2c_41_40

Little_Dot__x27_s_Uncles_and_Aunts_007_40_1963-11__41_40_c2c__41__40

Little_Dot__x27_s_Uncles_and_Aunts_031___40_1970-03_41_40_c2c_41_40

Little_Dot_Dotland_033___40_1967-11__41____40_c2c__41____40

Little_Dot_Dotland_036___40_1968-11__41____40_c2c__41

Little_Dot_Dotland_040___40_1969-06__41____40_c2c

Little_Max_Comics_054___40_1958-08__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Big_Bucks_005___40_1991-12__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Big_Bucks_007___40_1992-04__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Billions_048___40_1982-10__41____40

Richie_Rich_Cash_028___40_1979-03__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_004___40_1973-02__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_008___40_1973-10__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_012___40_1974-06__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_014___40_1974-10__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_015___40_1974-12__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_028___40_1977-02__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_029___40_1977-04__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_037___40_1978-07__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_056___40_1982-01__41____40_c2c__41____40

Richie_Rich_Diamonds_059___40_1982-08__41____40_c2c__41____40

Sensation mystery 111, 1952 (DC) (c2c).Net

 ● O homem do Metaforando manda formulário ideologia-de-gênero e acha que preencherei essa palhaçada? Ou não tem controle sobre sua equipe de panacas? No questionário a opção sexo agora é ( ) masculino  ( ) feminino  ( ) outros. Outros? Quê outros?, seus maria-vai-com-as-outras! Nem noutro planeta! Contradição de quem dá tanto curso que se diz estritamente científico, desabando toda a seriedade.

Distopia, vocábulo supérfluo. Utopia significa nenhures, lugar nenhum. Vocábulo que define uma condição ideal impossível. Se popularizou exemplificando realidades ideais positivas, como a sociedade feliz de Admirável mundo novo (Brave new world), de Aldous Huxley. Então cunharam o vocábulo distopia pra rotular realidades pesadelosas. Mas é equívoco, porque utopia não define ideal necessariamente positivo. Um cenário utópico de pesadelo também é utopia. Mais um exemplo de vocábulo mal engendrado.

A questão impossível

O jogo terminou Vasco 2×3 Flamengo há 2 horas. Tocas o vídeo pra assistir o jogo inteiro. Já está o placar definitivo. A 35min do 2º tempo o atacante do Vasco da intermediária invade a área, dribla o goleiro e fica sozinho na área. A bola parou quase na linha de gol. O atacante está a 1m dela. Uma pane geral interrompe o vídeo nesse momento. É impossível ter marcado, pois sabemos o placar final. O juiz não pode ter marcado impedimento. O quê aconteceu?

 Continua o catastrofismo terrorista pseudocientífico

Como já expliquei, não há na Terra força interna capaz de criar uma nova era glacial. Pelo mesmo mecanismo, não há força interna capaz de reverter os polos. Não há força interna capaz de provocar extinção em massa. Todos esses eventos foram conseqüência do choque dum planetóide várias vezes no passado remoto.

Há anos, quando na moda o catastrofismo da bolha gigante de metano na Sibéria, um amigo ligou, angustiado, sobre isso. Havia pouco eu vira o vídeo sobre o evento trágico no lago africano, onde um súbito escape de metano matou muita gente no arredor. Como no vídeo explicou que escape repentino de metano só ocorre em região quente. Em região fria o escape acontece gradualmente. Seja quem for o sem-vergonha que tirou a idéia do evento africano pra criar um catastrofismo na Sibéria, não tem apoio em ciência verdadeira.

Agora, no fim do ano 2021, o mesmo, conversando no imeio, falou que a Terra está recebendo muito mais raio cósmico por causa do gradual desvio polar. Tem muito picareta, agente catastrofista da máfia globalista, dizendo que o pólo magnético está se deslocando gradualmente, o que resultará em inversão polar. Pelo mesmo motivo que expliquei que por mais que esfrie não pode resultar em nova era glacial, pois não há força interna capaz disso, também a inversão polar não é gradual nem há força interna que o faça.  Ver Velikovsky, Terra em ebulição [convulsão] (Earth in upheaval). Só um planetóide se chocando contra a Terra pode repetir esses efeitos pós-diluvianos. Então, se te deparares cum vídeo ou texto com essas idéias, fujas, pra não ser vítima dum picareta que nada entende de geologia nem cosmologia.

Lendo A arca perdida de Noé (The lost ship of Noah), de Charles Berlitz, com certa reserva, pois nem sempre é autor tão sério, pasmo ante o tanto de indivíduos que não hesitaram em enfrentar perigo e morte no infantil afã de achar vestígio pra provar a existência da arca de Noé no monte Ararate.

O quê dizer sobre tamanha estupidez? Que sinto vergonha de pertencer a uma espécie onde predominam indivíduos pueris, capazes acreditar em coisas estapafúrdias.

Cientistas que discutem seriamente a existência de Deus, que tentam identificar a estrela-de-belém… Empenhos que dão vergonha alheia. Recentemente um iutubeiro explicou que na verdade Adão e Eva tiveram outros filhos, o que explica a proliferação da humanidade. Esse maluco nunca ouviu falar em consangüinidade?

Isaac Newton calculando as dimensões da arca de Noé! Este não é um planeta sério!

Um vídeo iutúbico sobre uma garota divulgando a idéia de que o império romano não existiu. Frisando o ridículo da idéia, aponta que também os teóricos dessa conspiração também negam a historicidade de Jesus Cristo e da facada a Bolsonaro, e sempre que cita a idéia diz que são de esquerdistas. É um manjado estratagema do sistema dominante espalhar várias teorias malucas, a técnica de exaustão, pra quando aparecer uma verdadeira que contraria uma sua, o povo estar cansado das maluquices e ignorar a verdadeira. É por isso que há décadas estereotipam insistentemente o vampirismo. Espalham idéias malucas, já com vídeos preparados pra ridicularizar tais idéias.

E tantos enfrentando frio, queda, guerrilha… pra achar a tal arca no monte Ararate!

Fatos que põem em dúvida de que uma espécie tão estúpida, abjeta e sem dignidade como a nossa tenha condição de chegar às estrelas.

Aquecimento global, superpopulação, inversão gradual do pólo magnético, mais raios cósmicos atingindo a Terra… Tudo catastrofismo terrorista ou terrorismo catastrofista difundido na mídia, pra paranoiar a população. Somos a civilização mais privilegiada do universo em todos os tempos. Vivemos na era mais fantástica: Temos todas as catástrofes possíveis e imagináveis, todas ao mesmo tempo.

Também temos todas as farsas: Criogenia, democracia, Apolo 171, breve colonização a Marte, búnqueres pra milionário. Vivemos num gibi de super-herói.

O mais recente dilúvio mundial, há quase 12 mil anos, foi um catástrofe tão espantosa que é impossível ocorrer pelas forças internas. Pra se ter idéia do tão espantosa foi, recomendo o livro citado, Velikovsky, Terra em ebulição [convulsão] (Earth in upheaval), e O fim da Atlântida (Alles über Atlantis: Alte thesen - Neue forschung), de Otto Muck. Nenhum barco, de madeira ou não, ainda mais cheio de bicho, resistiria a tal cenário, com ondas que atingiam os picos do Himalaia.

É óbvio que é um relato alegórico, como o são os outros (Adão e Eva, A torre de Babel, A criação, mesmo o episódio do cavalo de Tróia). Após o dilúvio se recaiu na idade da pedra, com tradição oral usando técnica de memorização pra preservar eventos fundamentais. Um dos requisitos da técnica de memorização é montar cenário o máximo aberrante, chocante, absurdo. Perdida a linguagem técnica, se usa analogia a-mão, como um barco contendo um casal de cada espécie, pra preservar as espécies ante uma catástrofe. O inverossímil de oito pessoas num barco em semelhante catástrofe cuidar, proteger e se proteger, alimentar, etc, infindável quantidade de casais animais. O absurdo, também presente em Adão e Eva, de a partir de apenas um casal se repovoar com a espécie. Tudo isso alegoria duma espaçonave levando pipetas com os genes de cada espécie (também vegetal) importante na agropecuária (gado, cana-de-açúcar, galinha, trigo…), além doutras áreas do saber, pois há indício duma civilização mundial antediluviana.

Os antigos contavam que seus longínquos descendentes teriam a sabedoria pra decodificar a analogia, entrever a verdade deturpada na lenda. Não contavam com o terrível fato de que a prolongada carência de proteína animal degenerasse tanto a inteligência da espécie, nos fazendo muito mais burros que os antediluvianos, a ponto de nos deixar fanatizar e tomar tudo de forma literal.

Além do mais toda madeira, de suposto barco, encontrada na região data de no máximo 5000 anos. Bem longe dos 11.500 e tanto do dilúvio. Seja o que for achado no Ararate e região, nada tem a ver com o dilúvio. Se há vestígio de barco ali, podem ser duma catástrofe menor mas importante de há 5000 anos quando Vênus chegou como cometa e se acomodou na órbita atual após causar cataclismos causados por perturbação gravitacional. Ambas catástrofes se confundiram na lenda, alimentando a imaginação de santarrões e fanáticos, e dando oportunidade a charlatães. Podem ser barcos que ficaram presos pela elevação dos montes após cataclismos.

Teriam venusianos algo a ver com os vestígios? Se são só vestígios de barco, não. Mas e se a espécie da deusa aquática venusiana andina Oriana aportou na região do Ararate? Dois eventos fundamentais confundidos na lenda. Vênus é um inferno de temperatura e pressão no lado externo, pois chegou como cometa. Mas e no lado interno?, pois todos os astros são ocos. A espécie dos nomos de Sírio, os cetáceos que criaram a civilização egípcia e suméria, de Oanes, e que construíram as pirâmides seriam a mesma de Oriana? Seres capazes de transformar seu planeta numa nave espacial, como cometa, pra se acomodar na órbita doutra estrela? Não é estranho Vênus chegar e se acomodar tão bem entre Mercúrio e a Terra?

Vejamos uns tópicos em A arca perdida de Noé (The lost ship of Noah), de Charles Berlitz:

Página 52 ● Fasold acha que a localização da arca enterrada, a 30km do monte Ararate, é compatível com a menção ao monte Júdi no Corão como onde ela parou, pois júdi, em árabe, significa altura. Também está de acordo com a tradição bíblica, que não especifica o monte Ararate, citando apenas montanhas com esse nome. Apesar da cordilheira Tendureque ser citada geralmente como onde fica o monte da arca, na verdade ele está na cordilheira Aquilaila, que segue de noroeste a sudeste, perto de Dogubaiazite. A parte dos morros onde está a arca é chamada Máser, que significa dia do juízo, nome conservado na memória de várias raças pelo que ocorreu na região.

53 ● Se for provado que o objeto é parte dum barco, continuará a dúvida sobre ser da arca de Noé. É interessante notar que muita gente que mora no local conhece o objeto mas não acha que seja o barco de Noé, que estaria no alto da montanha. Acham que é o barco de xá Malique, legislador da antigüidade, quem usava uma grande embarcação num lago que cobria uma extensa área em volta do Ararate e podia estar ligado, a norte e sul, a outros grandes volumes dágua. Ainda existe um lago na planície do Ararate, alimentado por riachos subterrâneos de gelo derretido que escorre do Ararate maior e do menor.

81 ● em 1955 voltou à Turquia como turista, ostensivamente acompanhado pela esposa e os três filhos. O objetivo da viagem era apenas subir ao Ararate e obter prova conclusiva de que vira ou tocara a arca. A época parecia propícia, pois era o ano geodésico de 1955, quando as geleiras chegaram ao máximo de descongelamento em várias décadas. Foi o ano em que a expedição internacional ao continente antártico descobriu que ele era formado por duas massas de terra e não apenas uma. Essa informação, desconhecida no tempo moderno, estava indicada nos mapas de antigos viajantes milhares de anos antes do continente antártico ser oficialmente descoberto e numa época em que não estava coberto de gelo.

83 ● Antes de voltar à França a família seguiu ao Egito, onde Navarra levou um pedaço de madeira à seção arqueológica do museu do Cairo e pediu opinião. Disseram que a madeira teria entre 5000 e 6000 anos. O ministério da agricultura egípcio estimou em 5000 anos, informando que a viga negra era de carvalho. Notar que o termo usado no Gênese descrevendo a madeira da arca foi geralmente interpretado pelos cientistas como carvalho branco. Como num raio de 100km do Ararate não existe essa madeira, é lógico presumir que um barco de carvalho branco fosse construído a grande distância e levado até lá por homens ou encalhasse na montanha carregado por vagalhão. Com os testes de carbono-14 e outros métodos chegaram novas estimativas das universidades de Bordô e Madri entre 4000 e 5000 anos, da universidade da Califórnia 1250 anos, além duma menos favorável do laboratório da universidade da Pensilvânia ano 560.

98 ● Apesar de nunca ter ido ao Ararate, o famoso matemático e cientista Isaac Newton numa série de cálculos determinou no fim do século 17 que a arca media 186,42m de comprimento, 25,98m de largura e 15,71m de altura, entre a quilha e o passadiço superior, pesando vazia 18.231t.

 

Coleção Adeene neles!

 

James Webb - revólver

 

Víctor Vieira - Víctor Santos

 

Stan Laurel - Peter Kolosimo - o monstro de Frankenstein 1931

 

Os oksapmin - seu Madruga

 

Onde anda Fred Krügger?

 

Coleção cartão-postal de Joanco