quarta-feira, 13 de junho de 2018

Dicionário do inexplicado


Dicionário do inexplicado, Planeta, 08.1983
Na legenda da figura da página 46 (110) falta dizer qual o século da pintura japonesa
Talvez pintura chinesa do século 8
O que encontrei sobre a figura:
A verdade do Céu e da Terra
A meditação ajicã se refere a meditação usando a letra sânscrita A () como ponto focal. A letra A é um mantra que representa a verdade do céu e da terra.
O bῑja A, na escrita sidã. Atribuído a Amoghavajra, China, século 8. Reproduzido de John Stevens, caligrafia sagrada do oriente (Boulder: Shambhala, 1981), 9.
Um erro de continuidade na diagramação da página 41 a 42
Em vermelho restauração presumida
Outro ianque, Cyrus Reede Teed, cujo pseudônimo era Koresh, criou no final do século 19 outra cosmologia excêntrica que também se transformou em religião. Pra si e seus seguidores vivemos num astro esférico ou ovóide, no centro do qual estão o Sol e os demais planetas, as estrelas e a Lua.
Exíguo o verbete sobre Estanislas de Guaita
Na página 97 (33) no verbete Loch Ness, o monstro de:  […] Como no caso do legendário kraken, que não era mais que o polvo gigante […]. O correto é lula gigante.
Na página 119 (55) os retratos de Koot Hoomi e Morya. Sempre que vejo me faz lembrar os casos em que uma mancha na parede é tomada como imagem de Jesus, com quem muito barbudo se parece. Ambos se parecem com a imagem popular de Jesus (até Tiradentes o é).
Também nessa página a idéia de que os superiores desconhecidos são homens que se tornaram semideuses ou criaturas doutra ordem. Pra mim são vampiros.
As páginas 158 (29) e 159 (30) estão trocadas na revista impressa.

Livro recomendado
A descoberta da sombra (La scoperta dell’ombra), de Roberto Casati, Ciª das letras, São Paulo, 2001
Imagines um livro, daqueles que se coloca entre os melhores, mais interessantes, suigêneris. Pois é este. História, física, curiosidade. Quem sabe sobre a importância da sombra na física, especialmente na astronomia, não diria tanta bobagem como Terra plana, pois não é que é a sombra quem revela que a Lua não é uma tigela?, página 94.




Na sombra, à sombra
69 Um sofisma: A velocidade da sombra é maior que a velocidade da luz
115 A sombra da pirâmide não serve pra medir a altura dela
 

130 A sombra revela que não estão no pólo norte
209 A velocidade da luz é desvendada pela diminuição da velocidade da sombra







Esculturas de gelo e castelos de areia
Um aviso de conexão caída da Kripta especial 1. Outro aviso é O livro dos fantasmas, de Viriato Padilha. Então constatei que as conexões antigas estão caindo porque ficam muito tempo sem baixar. Isso é mais um fator de insegurança, pois percebo que estou fazendo esculturas de gelo, castelos de areia. Isso e muito mais é contra o espírito da internete, onde tudo deveria estar disponível sempre.
Na postagem onde estão as criptas 24 comentários. Sinto muito, mas o sistema não avisa quando aparece comentário, por isso não posso responder. No primeiro contato com Bartolomeu777 disse que enviou um imeio pedindo repostar e que não respondi. Mas não respondi porque não chegou. Me lembro duma das vezes que mudei de provedor, acho que a Alanet. Só quando extingui a conta uma mensagem, que ficou nalgum fundo do baú, foi enviada. O destinatário achava que nunca respondi. Pra se ver como o sistema não é tão eficiente como a gente pensa.
Já vi muitas páginas fecharem, por diversos motivos. Uns porque não chegaram à glória ansiada, outros por se desiludirem com o fato de que as pessoas são muito diferente do que acreditamos desde criança, outros por causa da política da rede (censura, direito autoral, etc), outros por constatar que não dá dinheiro como esperavam, outros…
Não sou dado a alternância de humor, como uns que ameaçavam fechar porque os leitores não colaboram, por exemplo. Meus leitores primam pela qualidade. Aqui não aparece insulto e outras coisas terríveis que se vê nos ambientes de milhares de seguidores. De modo que decidir pausar não é protesto, pois protesto nada adianta, e sim contingência.
Enquanto isso o povão chafurda em baboseiras tipo conferência da mulher advogada. Imagines o nível intelectual dessa gente. É de lascar! São os mesmos adormecidos que ainda crêem em petas como poder do voto e outras tantas expressões ocas. E a prefeitura continua com a cidade sem manutenção mas vai engambelando o populacho com notícias de que no centro a fiação passará a ser uma moderna rede subterrânea e lâmpadas lede após anos com ruas no escuro. Claro que se farão tamanha mudança, não teria cabimento se não fosse mais moderna.
E a revitalização do centro, fazendo calçadão na 14 de Julho. Fico com pé-atrás, tendo em vista a qualidade da engenharia municipal, onde em cruzamentos o carro bate o fundo, furando o cárter se passar correndo, os critérios de contramão são aleatórios sem-pé-nem-cabeça, os semáforos apagados, foscos, verde que é azul, amarelo que é laranja e não se sabe se é vermelho.
Calçadão pra estreitar ainda mais o tráfego, sendo que a política há anos é a de acabar com os estacionamentos. O fato de não poder estacionar é que matou muitas áreas do centro. Se diminui cada vez mais os lugares pra estacionar e nunca se melhora o transporte coletivo, cuja qualidade é a mesma da década de 1980. Outra área morta e desarborizada como a da praça do Papa?
Mas não adianta alguém ser abnegado, altruísta, fazer um trabalho como sacerdócio, voluntário, se, tempos bicudos, diz que a Abril tá falindo, tudo ao redor é mercantilista e mercenário.
Não sou adepto daquela ridícula, estúpida e talvez a pior canção do mundo, de Roberto Carlos, de ter 1 milhão de amigos, pois quem tudo nada tem e quem tem demais pouco tem. Já há muito se foi a ilusão de glória e celebridade. Isso ficou lá na adolescência.
São dois fatores cruciais: A insegurança dos discos e a efemeridade dos subidores. Além da censura, é claro. Por isso pisarei no freio. Ver um subidor pago, montar um servidor, sei-lá. Quem-sabe? Voltarei aos textos manuscritos a caneta em papel, pois meus textos estão parados nessa febre de escanear.
Terminarei apenas os Papai Noel, pois em parceria com o Guia Ebal. E também a parceria com Realismo fantástico.

Mais fotos do recanto dos folgados
 






Repostando
Já providenciando Kripta 60 números + extra

Coleção cartão-postal de Joanco
 




sexta-feira, 18 de maio de 2018

Xuxá 037, 17.07.1951 - Matei sem querer



Os 10 piores candidatos em programa de espetáculo de talento
2:40 Um candidato, parece menor de idade, se apresentou e foi desclassificado. Sua mãe, indignada, invadiu o palco e acusou um jurado de o ofender. Se houve tal ofensa, deveria estar no vídeo. A mãe achou tão facilmente um microfone ao invadir o palco?
6:56 São duas mongolóides. Já que está tão na moda o politicamente correto (síndrome de down, segundo eles), podem ser expostas assim?

Eli Correa - 3 relatos de terror

O caixão no caminho
A alma penada
O morto de olho aberto
3 relatos bons relatos terroríficos. Mas os cacoetes à gil-gomes do narrador, com muita ênfase, repetição e pieguice, além de detalhar demais, alongando muito em vez de enxugar o relato, chateiam um pouco.
O primeiro relato termina de forma inverossímil, se bem que o inconsciente, movido por remorso, se auto-sabota assim mesmo, fica aquele gostinho de invenção
O segundo ficou melhor, mais pra distúrbio magnético de espaço-tempo que pra fantasma
O terceiro nada tem de terrorífico, apenas um ótimo relato de história de vida, carregado demais de sentimentalismo

A farsa dos capacetes brancos
Dátiles: Tâmaras


Derivada da forma y = u(x)v(x)
y = uv
lny = ln(uv) = vlnu

y’/y = (v’lnu + vu’/u)

y’ = uv(v’lnu + vu’/u)


Por exemplo: Achar a derivada de y = (1 + x2)(x + senx)
y’ = (1 + x2)(x + senx)(1 + cosx)ln(1 + x2) + 2x(x + senx)/(1 + x2)

À coleção Adeene neles!
          Glauder                     Tim Kretschmer
Mais um sósia de Glauder

Coleção cartão-postal de Joanco
 






domingo, 13 de maio de 2018

Alan Hynd - Gênios do crime


A história verídica e espantosa de três advogados brilhantes que puseram sua inteligência a serviço dos fora-da-lei
Título original ianque: Defenders of the damned
Um livro esplêndido
Se diz que muitas vezes a realidade supera a fantasia. Aqui vemos a realidade do mundo criminal, muito mais rica que na moralista e maniqueísta literatura policial. E o principal que falta na literatura policial: Muito humor e ironia. Como os conceitos dum dos três biografados, Darrow:
Raramente aceitava alemão ou sueco pra jurado. Afirmava que os alemães eram muito obstinados nas crenças e que os suecos eram cabeças-duras. Há quem atribua a Darrow a origem da piada, talvez surgida num momento de amargura, de que a única coisa mais estúpida que um irlandês estúpido era um sueco inteligente. Os jurados prediletos de Darrow eram os irlandeses e judeus. Os achava muito emotivos e fáceis de se comover. O júri perfeito, na opinião, era o formado por seis irlandeses e seis judeus. Certa vez comentou:
— Dai a mim um júri assim e livrarei Judas Iscariotes com simples multa de 5 dólares.
Na vida real não existe gênero. Ninguém vive um enredo de terror, comédia, etc. Na vida tudo se mescla com muita complexidade. É por isso que o mundo real é muito mais interessante que a mais interessante ficção.
Já disseram que Edgar Allan Poe era inteligente demais pra escrever terror pelo terror. E isso não implica em extremo realismo, o que é outro extremo indesejável.
Gosto do gênero policial mas detesto os filmes e livros com enredo em tribunal. Não suporto seu excesso de formalismo, seu elitismo e suas babaquices. Por isso não gosto do seriado Jornada nas estrelas (Star trek). Não só pela ausência de humor mas pelo excesso de formalismo marcial, a todo momento um tratando ao outro como senhor, como se num quartel.
Em nossa civilização o tribunal não passa dum teatro onde se brinca de salomão pra aplacar o populacho imbecilizado, onde as decisões são interpretativas, circunstanciais, relativas. Realidade estupendamente desnudada por este livro.
O leitor tomará consciência do quão fácil é manipular o tribunal de júri, essa instituição esdrúxula e demagógica que, como a democracia, não funciona e não pode funcionar.
Este livro te ajudará a despertar do sono e ver o mundo jurídico como realmente é.
Nunca mais verás um tribunal como antes.
O rei está nu!
Aqui em Mato Grosso do Sul bola-de-gude é bolita. Nada de pipa ou papagaio. É pandorga. Não gosto dos termos pipa e papagaio pra pandorga, pois são outras coisas. Até em castelhano esse objeto tem nome impróprio, remetendo a outra coisa: Cometa. Corrida de cavalo é carreira. Aqui temos um vocábulo pra fruto que está maduro demais, já passando do ponto, pachucho. Apesar de estar nos textos regionais, nenhum dicionário registrou o vocábulo, grande ou pequeno, antigo ou mais recente: Ruth Rocha, Silveira Bueno, Globo…
E tomes notícia hospicialeira na internete! É arqueólogo que diz que recolheu o adeene de Jesus, notícia de que o acelerador de partícula ressuscitará Nemirode pra que governe o mundo, que o planeta Trapista 1-E (Os trapistenses fizeram voto de silêncio?) é muito parecido com a Terra… Erraram feio com Plutão mas não dão o braço a torcer, mantêm a pose e continuam fingindo ser cientistas quando são animadores de auditório. Na internete tem notícia de todos os tipos de fantástico que se possa imaginar. Mais literatura que ciência. O que parece é que ressuscitaram Lovecraft pra administrar a internete.
Neste mundo desvairado, não era de estranhar eu ser parabenizado pelo dia da mulher.
Hoje, o tal dia das mães, almoçando na casa de Ramão, um amigo seu pediu pra falar com Emiliana, e deu um efusivo, meloso e piegas parabéns pelo dia das mães, patati-patatá. Mas Emiliana não é mãe! O casal optou não ter filho.
Pelo que entendo desde criança, no dia das mães cada um festeja a sua. Mas nos últimos anos vi deformar esse conceito, cada um se vendo na obrigação de parabenizar a todas as mães! Bom… Se Papai-Noel pode entregar presente pra cada criança… Talvez Papai-Noel entregue presenta apenas pra cada criança boa, o que reduz enormemente a tarefa!
Dizem que um dos motivos do fim do paganismo era porque os rituais ficaram tão complexos, que já não se podia mais. É o que ocorre no mundo consumista, a nova religião de culto às datas. É dia disso e daquilo, daquele e daqueloutro. Haja planilha pra se lembrar do dia de cada coisa e do aniversário de cada um. É a suprema imbecilização.
Já quantos amigos e colegas contaram que era só esquecer o dia da mulher e a esposa já ficava emburrada.
Felizmente desde 2008 moro sozinho e não tenho contato social. Só de lembrar da vida em família e suas supremas babaquices fico arrepiado. No aniversário dum familiar todos fazendo vaquinha pra dar o presente. Chega o do outro e o mesmo. Só os peões deslocam uma peça. E fica eternamente essa sem-graceira que leva a nada e nada significa. Um horror.
Uma repartição onde distribuem flor no dia da mulher, supra-sumo da babaquice, pode parecer lindo na cabeça do zumbi imbecilizado pela mídia, mas na verdade é um horror. Está mais pra Kafka, Murnau ou Fritz Lang.
É preciso reformar o calendário, extinguir essa praga de dia de. Um mundo sem fogo-artificial, data comemorativa nem som alto.







Aqui fotos do semáforo que de longe fica atrás do poste. Ainda bem que tem outro central. Avenida Júlio de Castilho com Nioaque.
Sobre o sotaque brasileiro ser muito atraente pra qualquer língua:
3:33

2:00

Coleção cartão-postal de Joanco