segunda-feira, 9 de setembro de 2019

A primeira aparição de Tom & Jerry em gibi


A primeira aparição de Tom & Jerry e outros em gibi

Tradução de Che Guavira a partir do original enviado por Danilo Meneses

Os arquivos xcf, do Gimp, pra quem quiser traduzir a outro idioma
Na próxima tradução estará mais prático, pois estou aprendendo a forma ideal de editar facilitando a reedição.

Our gang curse
A estatística desfaz a idéia de que há uma maldição de que a maioria dos membros da turma morreu jovem.
Eu diria que se há maldição é a do câncer.

Spank não é espancar mas dar palmada:
Aqui aparece a tradução errada:


O mundo fantástico de HP Lovecraft, volume 2
O volume 2 de O mundo fantástico de HP Lovecraft, da editora Clock tower, é um livro com contos escritos por Lovecraft como escritor-fantasma. São apresentados em primeira vez no Brasil e constituem a fronteira final em tradução das obras de ficção desse grande autor.
Está a venda exclusivamente em
Sumário
Notas ao Volume 2
Contos:
O prado verde
O homem de pedra
Até os mares
O horror no cemitério
As duas garrafas negras
A árvore no morro
A dança de Medusa
O último teste
O oceano noturno
Trapaceando a morte
Extra
– Ilustrações exclusivas
– Biografia da equipe editorial
– Nome dos colaboradores
– Endereços internéticos dos parceiros da editora
E muito mais

Sabias que o nome inglês Robin, do super-heróis companheiro de Batman tem esse nome por causa da semelhança de sua fantasia com o pássaro, o tordo, que em inglês se chama robin (Turdus migratorius)?

Folgados de quatro rodas
Mais um tipo expansivo, acostumado a dormir sozinho em cama-de-casal
Nem carteira deve ter



Os vermelhos
Logo após desbaratar os guerrilheiros do Araguaia, um general avançou mais e descobriu algo espantoso.
Alô, quartel-general? General X falando. Tem uma região aqui infestada de comunista! Bem mais ao norte descobri uma cidade onde metade da população de adepta dos vermelhos. Aguardo instrução.
— Mas como? Os vermelhos já tomaram meia cidade. Isso é muito grave! Teremos de cercar e render a cidade. Se necessário combate corpo-a-corpo casa-a-casa! Confirmar a notícia, pois é muito grave.
— É verdade. A metade da cidade é adepta do vermelho. Nas ruas, casas e bares exaltam o vermelho. Tem até uma senhora cuja casa é toda pintada de vermelho, até as paredes internas e externas. O fanatismo é tanto, que até achou uma maneira da piscina ficar vermelha.
— Não acredito! São tão fanáticos assim?
— Pois é. Quase apanhei ao andar com camiseta azul. E é a coisa mais comum encontrar gente cantando Meu coração é vermelho!
— O nome da localidade.
— Parintins.

A farsa indigenista no Brasil

Fósseis vivos
Expressão metafórica referente a espécies consideradas extintas, que só são conhecidas por causa de registro fóssil, mas que depois acharam exemplares vivos. É óbvio que fóssil vivo mesmo não existe, porque fóssil é uma formação mineral.

Já ia escanear o prólogo de História da guerra do Brasil contra as repúblicas do Uruguai e Paraguai, Rio de Janeiro, 1870, mas os dois volumes estão prontos pra baixar em

Coleção cartão-postal de Joanco




terça-feira, 3 de setembro de 2019

O infante e Tordesilhas


Mais um texto sobre nossa identidade lusófila, lusófona, etc, que precisa ser retomada e reforçada
Neste texto de discurso histórico, 1994, removi as frescuras de norma técnica, especialmente algarismo romano, sigla e abreviatura, que abomino, pois dificulta imensamente o entendimento. Ainda mais quando é tradução. Em Os segredos de Israel foi um trabalhão achar as abreviaturas, que além de serem em francês são um tanto arcaicas. Por isso pleiteio que se deve abandonar essa prática de academicismo exacerbado, que na época, local e meio são familiares, mas que a outros é um enigma.



No volume 10, de 10, de Condorito da editora Origo, uma piada que costumamos ouvir como nossa
Não somos os únicos com complexo de vira-lata

A primeira sede da Nasa

Diferenças dos portuguêises

Um juiz pode agir assim?
Mau-humor crônico se chama distimia e é uma doença





Garrafa de cerveja com a boca lascada. A lasca colada no lado interno do gargalo.

À coleção Adeene neles!
NASA - Caixa-forte de tio Patinhas


Monstro magnético de Planeta proibido - Diabo-da-tasmânia da Looney tunes


M5 - MS


M5 (norte de Hama) - MT

Sônia-Schüller - Cláudia

Coleção cartão-postal de Joanco
 




sexta-feira, 16 de agosto de 2019

A lua-de-mel do homem invisível

A lua-de-mel do homem invisível

Disponibilizo os arquivos xcf do Gimp, das traduções de gibi, pra quem quiser traduzir a outro idioma


Esse táxi costurando na avenida Mato Grosso, sem dar sinal, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, 14.08.2019, 9:45h
Motorista profissional tem obrigação de dirigir bem

Potiguassu
Como expliquei no artigo sobre tupi e guarani, o i gutural representado por y é idiomatizado no português por i ou u. Poty é flor, poti é merda, guaçu, erradamente grafado guassu, é grande.
Então, traduzindo o nome da olaria, resulta uma grande…

À coleção Adeene neles!
 
Fernando Moragón - Osmar Prado

Coleção cartão-postal de Joanco







sábado, 10 de agosto de 2019

Papai Noel 55 extra


 As séries da Colúmbia, como Mandrake, 1939, ou a Johhy Quest, da Republic serial, ?, são pura picaretagem, enganando o público usando o nome de personagens famosas, como Mandrake, totalmente descaracterizadas. Um lixo. https://www.youtube.com/watch?v=saiXRSIOydw
Mandrake, o mágico capítulo 1, legendado, completo
Jonny Quest - O monstro invisível 2, dublado
O verdadeiro episódio O monstro invisível é este, https://www.dailymotion.com/video/x70tp9l,
desenho animado de 1965, cujo monstro magnético invisível é idêntico ao de O planeta proibido, 1956.
 
O aspecto do de Planeta proibido parece mais o diabo-da-tasmânia da turma do Pernalonga
O filme Planeta proibido (Forbidden planet), 1956, interessantíssimo, é uma obra-prima da ficção-científica. Dali saíram todos os clichês dos seriados dos anos 1960: As gigantescas galerias de muitos andares de O túnel do tempo, as luzes piscantes nos aparelhos alienígenas de O túnel do tempo e de Perdidos no espaço e muito mais. Sem esquecer que o robô Robby, como outras personagens, apareceu em episódios de Perdidos no espaço e Viagem ao fundo do mar.

O general:
-- Mister Trampa, já bombardeamos Hawaii.
Mister Trampa:
-- Não! Sua besta! Era pra declarar guerra contra a Huawei!

O general:
-- Mister Buxo, bombardeamos a Casa Branca!
Mister Buxo, no meio do escombro:
-- Sua besta! Eu disse Casablanca, no Marrocos!




Folgados de quatro rodas
Este é um folgado tipo cama-de-casal, folgado caipira, do interiôrl
Nem carteira deve ter

Coleção cartão-postal de Joanco
 






segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Alerta ao ocidente

Título original russo:
Выступление по английскому радио - Панорама
Declaração na rádio inglesa - Panorama
Eis uma entrevista e um discurso de Soljenitsin publicados no Brasil com o título Alerta ao ocidente. Li os dois volumes de Arquipélago Gulague nos anos 1980. Me fascinou a narrativa desse dissidente do regime soviético. Bem o oposto da sensação de ler Pássaros feridos, de Colleen MacCullough, verdadeiro lixo que até hoje me dá sensação rançosa de asco mas que serviu de estímulo não mais ler bestséler.
De forma que parece profética, mas não é, é puramente analítica, previu a decadência e queda do ocidente, o que vemos de forma escancarada.
Quis saber o que os russos atuais acham sobre esse autor, e soube que Putim é seu admirador. Soljenitsin nunca foi traidor nem entreguista, pois seu país estar sob mau regime não é desculpa pra ser traidor. Situação do Brasil pós ditadura militar, especialmente sob Bolsonaro. Sempre lutou por uma Rússia forte e libertária.  Nessa entrevista declarou como os prisioneiros do gulague rezavam ao ocidente, o tendo como a terra da liberdade, mas continuamente se decepcionando com a postura ocidental. Frisou bem que disse rezava, não admirava.
Se era admirador de Franco e Pinochet, era porque via o ocidente, sua esperança, tal qual nossa esperança hoje é o oriente russo-chinês, como a única força capaz de enfrentar seu opressor, e acreditava que o governo tem de ser forte. Como prisioneiro do gulague não se pode esperar que estivesse bem-informado e tivesse ampla visão do quê o ocidente realmente é.
Me lembro duma palestra, não se essa mesma (Panorama), onde vilipendiou a depravação ocidental.
Sua visão sobre quem Lênin realmente era é magistral e exata.
Vale a pena ler a obra desse grande dissidente e soberano escritor.

Condorito 2, da Origo, página 87

Plesiossauro

Condorito achou uma ossada completa de dinossauro, a montou num museu, atraindo turista. Chegou um antropólogo. Condorito disse que os ossos têm 1 milhão de anos e três meses. O sábio perguntou o motivo de tanta precisão. Condorito respondeu que havia três meses um antropólogo esteve ali e datou os ossos em 1 milhão de anos.
Não quero supor que o autor do quadrinho tenha obrigatoriamente de conhecer esse ramo científico. Alguém argumentaria que afinal a personagem do gibi de fantasia é um condor antropomorfo, como Míquei, Pateta, pato Donaldo, Zé carioca são bichos antromorfizados, bicho-gente. Afinal, Condorito têm mão, dente, barba, não voa…
Não condeno de forma moralista, mas bem que naquela época de plena luta contra os moralistas que tentavam demonizar os quadrinho, bem que o autor poderia ser mais correto, educativo e responsável. Afinal, todo mundo sabe que condor não tem dente nem fala como gente, mas um fato científico é levado como ensinamento. Creio que não é por ser quadrinho de humor e sátira isso seja desculpa pra relaxismo. Se sabe que é na literatura e demais ramos infantil que autores medíocres se refugiam, pois ali não lhe é cobrado rigor e qualidade, podendo causar todos os estragos na mente infantil com o excesso de fantasia e descaso paterno. Como um cientista que errou as previsões e então se refugiou na metafísica. É sabido que os medíocres preferem o ocultismo.
Mas também é muito ruim, ainda mais numa época em que gibi era coisa de criança. Como os Flintstone, ajuda a reforçar estereótipo, idéias erradas. Cada um julgue como quiser e se quiser. Mas vejamos os erros da tira de 1 página:
Não existe osso de dinossauro, só fóssil. Fóssil não é osso. Se forma quando o osso se dissolve e o espaço é ocupado por minerais. O que pode levar a deformações além das causadas por terremoto, acomodação, alterações de clima, umidade e demais fenômenos.
Não existe esqueleto completo de dinossauro. Os que estão montados nos museus são com as partes faltantes presumidas.
No quarto quadrinho disse que turistas de toda parte acorrem pra ver os ossos do mastodonte. Mastodonte?! Decerto uma metáfora pra algo grande, mas aqui pega mal.
No quarto quadrinho é mastodonte, parente do elefante, da América do Norte, extinto há cerca de 10 mil anos. No quinto a placa diz que é um plesiossauro, que foi um animal marinho, com nadadeiras em vez de patas. Mas no desenho está o que parece ser de tiranossauro-rei, https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/museu-de-paris-inaugura-exposicao-com-esqueleto-inedito-de-tiranossauro-rex-veja-fotos.ghtml. O ruim é que nessa notícia também falam em ossos. Não é fácil!
Em seguida receberão a visita dum antropólogo que quer inspecionar os ossos. Antropólogo?! A antropologia estuda o ser humano. O outro cientista que datou os ossos também era um antropólogo! A ciência que estuda as formas de vida a partir dos fósseis é a paleontologia.
Se foi datado por um antropólogo, isso explicaria ter datado em 1 milhão de anos, quando os dinos gigantes se extinguiram há 65 milhões de anos.
Como se vê, é um verdadeiro samba-do-crioulo-doido, ou quadrinho-do-desenhista-doido, pois o único quadrinho que não tem erro é o penúltimo.
Não é de estranhar tanta concepção errônea. Cinema quadrinho, literatura, palestra, vídeos. Até em canais iutúbicos sobre mistério (Mundo desconocido, por exemplo) o cara fala sobre osso de dinossauro. Na crônica que postei sobre gato, Os gatos pensam?, o autor também incorreu nesse erro: Só quando o macaco evoluiu ao homem […] mas nunca foi dito que o homem descende do macaco, o que é impossível porque são contemporâneos, e sim de que ambos têm um ancestral comum, o que é apenas uma teoria. 

A publicação destaca que os Al Saud, de fato, procuram quem os ajude a sair da guerra ou, noutras palavras, do vietnã árabe que criaram no Iêmen de forma decente, pra salvar seu prestígio
Vejas onde falta uma vírgula

Mosca no pão-francês no Comper da Tamandaré com Benjamim Constant em 31.07.2019
Que ama sua saúde não come coisa da padaria do Comper
Desse jeito terei de parodiar o Comper com o Que muera el roto quezada!: Que feche o porco Comper!

Coleção Pareidomapa
 
Espanha, Síria, bigorna

Coleção cartão-postal de Joanco