segunda-feira, 24 de junho de 2024

Martins d'Álvarez - A história trágica da anestesia.pdf

Martins d'Álvarez - A história trágica da anestesia.docx

Amostra da ortografia da época

Inventar a anestesia se atrasou em cem anos por causa de idéias obscurantistas. Diziam que se Deus criou a dor o homem não pode a suprimir. O inventor foi perseguido. Tudo isso pela Igreja? Pelos colegas de academia científica.

É generalizada a crença de que os reis antediluvianos tinham fantástica longevidade

Vejamos o que disse Desmond Varley em 7, o número da criação (7, the number of creation), 1976, coleção Esfinge, edições 70, Barcelos, Portugal, 03.1988

No livro o autor confunde o vocábulo algarismo com o vocábulo número

Os reis antediluvianos não viviam tanto

A lista dos reis antediluvianos

Os babilônicos e os hebreus tinham tradição relativa aos reis ou patriarcas que reinaram antes do dilúvio. Conhecemos várias listas babilônicas nas quais variam os nomes dos reis, mas seu número é sempre 10. Em Gênesis o número de patriarcas desde Adão até Noé é também 10. A lista bíblica refere a idade de cada patriarca quando gerou o sucessor, em seguida o número de anos que viveu e, finalmente, a idade na ocasião da morte. A lista completa é dada no seguinte quadro:

figura 29

Uma rápida olhada nos números mostrará que não representam idade real. Os números devem ser entendidos como fornecendo outras indicações. A primeira coisa que vemos é que há sempre um fator-comum nos números da 1ª e da 2ª colunas de cada patriarca, o que demonstra que são simbólicos.

O texto da passagem que contém a lista repete exatamente as mesmas palavras ao descrever a idade de cada patriarca, exceto o 7º, Enoque. De todos os outros se diz que morreram tendo seguido com Deus. Enoque não mais foi visto porque Deus o levara. Também é estranho que enquanto a idade dos outros patriarcas na data da morte oscilava entre 750 e 1000 anos, a idade de Enoque quando foi levado por Deus era 365, o número de dias do ano.

A idade do 1º, 2º, 5º e 7º patriarcas quando nasceu o sucessor era de 130, 105, 65 e 65 anos, respectivamente. Tais números somam 365. Se tomarmos os números da 2ª coluna correspondentes aos mesmos 4 patriarcas encontramos 800, 807, 830 e 300, cujo total é 2737. Os números da 3ª coluna relativos aos três primeiros patriarcas são 930, 912 e 895, cujo total é 2737. Tal número é resultado de 365 × 7 + 182. O número da 1ª coluna referente ao nome do patriarca é 26 × 7, metade dos dias do ano. O 9º patriarca tem, como não podia deixar de ser, o número 777 da 3ª coluna, que lembra o número da besta no livro da Revelação (Apocalipse), 666. No simbolismo dos números, 6 é deficiente. O fato de aparecer triplicado acentua essa característica. Por isso 666 significa o pior dos males. Noutro lado, 777 reforça a idéia criativa de complementaridade própria do número 7, o que conduz à idéia de que a primeira dádiva (Por exemplo: O mundo antediluviano) se completou com o  9º patriarca, começando uma nova dádiva com o 10º, Noé. Se tomarmos os números em sentido histórico veremos que a morte de Lameque se situa 5 anos antes do dilúvio. Em contrapartida, o 8º patriarca, Matusalém, se julga que morreu no dilúvio. É por isso que os números da 1ª coluna referentes aos 3 patriarcas totalizam 969, a idade de Matusalém quando morreu.

O suposto tempo-de-vida dos 10 patriarcas está representado no quadro da figura 29, onde veremos que, se acaso os números representassem as verdadeiras idades históricas Adão ainda estaria vivo quando nasceu o 9º patriarca!

É certo que os números apresentados na lista devem ter significado próprio. Parece mui provável que o significado se refira a cronologia

Já vimos que os números 365 (os dias do ano), 7 (os dias da semana) e 26 (metade das semanas do ano) figuram na lista. Seria de esperar aparecer igualmente representado o número 12 (meses do ano). O único emprego evidente de tal número aparece na linha de números referentes a Cainã. O número 70, na 1ª coluna, é a duração normal, em anos, da vida dum homem, a contagem bíblica de 3 × 20 + 10. É multiplicado por 12 pra dar o número da 2ª coluna, 840, o que dá o tempo-de-vida normal dum homem em meses.

figura 30

O total da idade de todos os patriarcas contém 3 vezes o número 7 (8575 = 7³ × 5²), ao passo que o número se reduz a 7 pelo processo bem conhecido pelos numerologistas: Somar os números em separado até obter 1 algarismo

8+5+7+5 = 25

2+5 = 7

Voltemos à lista babilônica dos reis antediluvianos, que provavelmente constitui o modelo da lista bíblica, pra ver se esclarece o assunto. Eis a lista segundo Beroso:

figura 31

Como vemos, em relação à lista de anos expressa no sistema de contagem usado pelos babilônios pra fim científico, cuja base é 60, não 10, todos os números apresentados por Beroso têm um fator comum de 60² = 3600, sendo este seu mais alto fator comum. Os babilônios tinham um ano de 360 dias ao qual se intercalavam os dias necessários pra manter o ano civil a par do ano solar, o que sugere a idéia de dividir os números de Beroso por 360, processo não estranho aos babilônios, pra quem 1 ano divino = 360 anos vulgares. Se assim fizermos teremos uma lista semelhante à 1ª coluna da lista bíblica.

figura 32

A lista de Beroso não é a mais antiga dos reis antediluvianos. Ao menos 1 milênio antes os sumérios gravaram uma lista do gênero numa tábua. É natural que os nomes atribuídos aos reis fossem diferentes mas o número deles já nessa altura era 10. Os anos da lista seguinte foram atribuídos em algarismos de base 60. Ver lista seguinte.

 figura 33

É fácil verificar que o primeiro número da lista é o único que não é inteiro, o que a torna altamente suspeita. Em caracteres cuneiformes, tal número se escrevia simplesmente 18,40, pois mesmo numa era mais adiantada os que se encarregavam de fazer as tábuas cuneiformes não usavam sinal pra representar o 0 no fim do número. Também não se fazia distinção entre fração de 60 e potência, de maneira que a 40ª parte dele podia ser facilmente representada por 40/60 = ⅔. Suponhamos então que o escriba percebia que cometera um erro depois de já ter escrito 18 e queria corrigir de modo a se ler 12. Uma das soluções era escrever ⅔ após o número, mostrando assim que se lhe devia subtrair ⅔. Se o interpretarmos como 12,0,0 em lugar de 18,40,0, veremos que o total está exatamente de acordo com o total da lista de Beroso, 2,0,0,0 anos ou 1200 anos divinos.

   Sendo este total o intervalo de tempo que se supõe abranger o período da criação ao dilúvio, se julga que tenha significado. No Maabarata indiano, datado de -400, 1 iuga, idade-do-mundo, consiste em 1200 anos divinos, o que nos leva a pensar em sua origem comum com as listas babilônicas dos reis. Há relação com o total da lista bíblica? Se aventou a hipótese (The Masks of God (As máscaras de Deus), volume 2, Oriental mythology, de Joseph Campbell) duma conexão através da idéia do ano grande (ou platônico).

Os antigos acreditavam que o fenômeno ao qual nos referimos fosse uma precessão dos equinócios, o movimento lento mas contínuo do ponto existente no céu ao qual estão dirigidos os pólos do eixo da Terra. Tal ponto se move num círculo, sendo a oscilação anual de 50,26 segundos do arco. A medição era feita de maneira mui precisa pelos astrônomos. O tempo que os pólos levavam pra completar 1 círculo no céu é o ano-grande. Se calculava que o movimento de 1 grau demorava 72 anos, portanto um ano-grande era 360 × 72 anos. Os antigos mesopotâmios ficariam decerto impressionados pelo fato dos dois números serem iguais aos dias de seu ano e ao número de suas semanas de 5 dias do mesmo período. Como já vimos, não era raro usar os valores numéricos relacionados a uma unidade-de-tempo junto com outra unidade, pra obter, por exemplo, uma semana de anos, processo que muitas vezes está na Bíblia. Se dividirmos os 1656 anos da lista bíblica pelos 72 anos exigidos prà precessão de 1 grau, o resultado é 23. Chamemos 23 anos-grau. Mas tais 23 anos consistem em 8400 dias, incluindo os 5 anos bissextos do período. Se dividirmos o número por 7, pra obter o número das semanas hebraicas de 7 dias, chegaremos ao número 1200, o total das listas babilônicas. Tal cálculo pode parecer forçado pra nossa mentalidade mas era com mistérios semelhantes que os antigos padres-astrônomos envolviam seus cálculos, talvez pra os tornar menos acessíveis ao homem comum e assim aumentar sua autoridade. Os hebreus nômades não tinham os mesmos conhecimentos astronômicos dos babilônios. Tinham uma classe de padres a quem eram confiados muitos segredos. Não há dúvida de que os sacerdotes hebreus conseguiam cópias dos números babilônicos e que com seu amor ao simbolismo numérico os adaptavam a sua cultura. Os babilônios eram versados na ciência de calcular e tinham profundo conhecimento de astronomia e computação.

Os hebreus, ao contrário, usavam sobretudo os números pra fim comercial. Já verificámos que a idéia duma era composta de tantos anos divinos era comum aos babilônios e aos hindus. O número obtido por eles era de 1200 anos divinos, o que equivale a 432.000 anos vulgares. Caso estranho, tal número surge com significado idêntico noutras culturas. Na Eda poética islandesa, por exemplo, os seguintes versos:

Nas muralhas de Valrala, imagino, Existem 540 portas Em cada uma saem 800 guerreiros Quando partem à guerra contra o lobo.

Como a guerra contra o lobo se refere à batalha que marca o fim duma era cósmica, o número total dos guerreiros (anos?) representado no verso (540 × 800 = 432.000) é altamente significativo.

 

https://www.youtube.com/watch?v=3GudGLyX6Ng

Uma médica fala a verdade sobre a sodomia, com ciência, não com propaganda

Aula essencial alertando sobre o perigo dessa horrível perversão

 

https://www.youtube.com/watch?v=WxeATGfuAxk

A mágica irreplicável dos Wright Brothers. Os falsos vôos de 1903. Referências abaixo na descrição

 

https://www.youtube.com/watch?v=RzsUcuS-XOw

Intentan sobrevivir sin hombre. Mires lo que pasó.

Tentam sobreviver sem homem. Vejas o que aconteceu.

 

Petróleo não é fóssil

 

  O petróleo não é fóssil. É inorgânico. Fóssil é quando um osso se dissolve e minerais ocupam o lugar. Fóssil é inorgânico. É impossível fazer gasolina de fóssil.

— Como geólogo e climatologista te dou toda a razão

 

Velha novidade

 

Descobriram que as pirâmides de Gizé estão alinhadas com Órion

— Isso já estava nos livros dos anos 1970

— Obrigado. Me economizaste tempo. Pensei que tinham novidade. Até mais.

 

Coleção Adeene neles!


 Doutor Jekyll - senhor Hyde

Madame Bruce Willis - Micha Boçalnaro

 

Onde anda Marta

 

O primeiro protótipo do Concorde - Avião conceitual

 

Coleção Cartão-postal de Joanco

 



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário