terça-feira, 12 de julho de 2011

À coleção Placas ridículas e curiosas
Eletrecista, indústrial, lígue
Vendo essas novas propagandas da Bombril me lembro de como o humor feminista é chato. Sempre constatei que quando elas fazem piadas feministas não tem a graça das piadas machistas. O humor delas costuma ser ácido, agressivo, rancoroso. São poucas as boas humoristas, como são poucas as boas escritoras.
● O vôlei nasceu da idéia de se criar um desporto sem contato. Sem os horríveis trancos e pancadas do futebol, basquete, rendebol, etc. Então pensei: Por que não criar um esporte unissex? Sem contato, onde homens e mulheres pudessem se misturar como nas escolas e na vida em geral. Assim teríamos um desporto mais civilizado e menos estúpido.
● No fim de semana fizeram uma feira do chocolate. Já começou errado, abrindo às 17h. Quando teve a do mel era durante o dia. Chegando se via um palco imenso diante das barracas e se ouvia um som altíssimo, irritante. Parava e recomeçava e parava. Não se conseguia falar com o vendedor na barraca. Fui reclamar ao responsável. Apareceu um sujeito com cara de evangélico, dizendo que tinham de ensaiar o som. Caramba! Tinham o dia todo pra ensaiar e tinham de fazer justamente na hora da feira?! Que falta de respeito com a população. Vemos a propaganda anunciando uma feira de chocolate  mas não avisam que tem junto ensaio de xou pra maloqueiro. Quem quiser cantar uma guria tem de levar um megafone. Campo Grande é uma cidade que só serve pra quem gosta de ficar em casa.
● Dois conselhos de ouro: Não ir ao supermercado com fome nem consumir bebida alcoólica com sede.
● Nunca permitas que o esquartejador peça a mão de tua filha e nunca se deve pedir uma bala a um policial.
● Comumente vemos notícia de garota cujo ex-namorado publica fotos dela nua na internete, pra se vingar por levar um pé-na-bunda. Ou do garoto que fez montagem da filha de Chitãozinho ou Xororó. Até hoje vemos notícia, por exemplo, duma professora de escola infantil ser demitida por se descobrir que fez estripetise numa boate num fim de semana, um secretário municipal ser demitido por ter outrora atuado num filme erótico. Até hoje acontecem casos assim absurdos, frutos dum puritanismo exacerbado e psicopata, e ninguém clama contra essa horrível forma de preconceito e intolerância. Como se o profissional não pudesse ter vida particular. Ninguém faz passeata pra combater essas sandices e a imprensa se cala. Em vez disso só levantam a bandeira de casamento guei e legalização da maconha. Não enxergam que a única forma de combater isso é acabar com o puritanismo. Publicou o peito e a vagina de fulana na internete? O que importa? É o mesmo que mostrar o rosto ou as mãos. O agressor ficaria desarmado, como se tentando atirar com uma pistola de brinquedo. É verdadeiro o que disse Jacques Bergier, em O despertar dos magos: O pouco que vemos é devido ao pouco que somos.

Um comentário:

  1. Só um aparte ao primeiro comentário: a equipe de criação da campanha da bom bril é totalmente masculina.
    http://www.bombril.com/upload/images/Campanha_Institucional.doc

    ResponderExcluir